quarta-feira, 26 de julho de 2017

Alvorada sedia Cfor Básico

            O Departamento de Formação Tradicionalista do MTG abriu as inscrições para o Cfor Básico que acontece no dia 5 de agosto em Alvorada, das 9 às 18h, na Câmara Municipal de Vereadores (Rua Presidente Getúlio Vargas, nº 2266, Centro).

            O valor é R$ 65,00 e as inscrições podem ser feitas no link https://www.cursos.mtg.org.br/cfor-basico-1rt.

             O curso tem como temas História do Rio Grande do Sul; História do Tradicionalismo Gaúcho; Noções básicas da Cultura Gaúcha; Carta de Princípios; Gestão de Pessoas: liderança, relacionamento interpessoal e gerenciamento de conflito e Voluntariado.

MTG divulga proposições que serão apresentadas na Convenção Tradicionalista

              O Movimento Tradicionalista Gaúcho publicou em seu site, nesta semana, a íntegra das proposições que serão apresentadas na 84ª Convenção Tradicionalista, que acontece no dia 29 de julho, no CTG Alexandre Pato, em Lagoa Vermelha.

            Algumas delas se referem a alterações nos Regulamentos do Enart – Encontro de Artes e Tradição, Ciranda Cultural de Prendas, Entrevero Cultural de Peões, Campeiro e também no Regulamento Artístico do MTG, além de inclusão de normas e pré-requisitos para ser considerado um ‘Imortal’ do MTG e criação da Força "B", na modalidade Chula. 

             Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, a 84ª Convenção Tradicionalista será novamente um grande fórum de debates e decisões quanto à pauta tradicionalista, reforçando a filosofia de trabalho e tradição de diálogo e troca de ideias do Movimento. 

             As proposições podem ser acessadas no link http://www.mtg.org.br/noticias/105, onde também podem ser feitas as inscrições para quem pretende participar.



Inscrições para piquetes no Acampamento Farroupilha vão de 31 de julho a 04 de agosto

            Inicia no dia 31 de julho e se estende até 04 de agosto o período para inscrições de projetos culturais pelas entidades tradicionalistas interessadas em acampar no Acampamento Farroupilha de Porto Alegre.

            Podem ser apresentadas atividades culturais como:
I – Oficinas Culturais Temáticas – atividade que proponha a vivência da cultura gaúcha na sua essência, como por exemplo, de chimarrão contendo além da história desta bebida típica, a experimentação de como fazer a bebida;

II – Encenações Teatrais - forma literária  de apresentar uma passagem da história, normalmente constituída de diálogos entre personagens e destinada a ser encenada visando facilitar o entendimento do tema apresentado, como por exemplo, encenar a prisão de Bento Gonçalves no combate da Ilha do Fanfa;

III – Seminários - reunião especializada em que se debatem problemas científicos ou matérias expostas por seus participantes, como por exemplo, trazer um professor especializado em história gaúcha para debater um tema especifico;

IV – Mostra de Poesia e Declamação – reunião onde pessoas apresentam poesias e declamações que tenham relação com o tema proposto para os projetos;

V – Pesquisa

VI – Acervo e resgate histórico - resgate histórico e cultural, a partir por exemplo de  imagens fotográficas que traçam a história, assegurando que parte dessa memória não se perca, permitindo que as gerações revivam o passado, tomando conhecimento da história contada.

VII – Apresentações Musicais e Artísticas – promover o acesso aos bens culturais, através de espetáculos, shows, livros, obras de artes plásticas, músicas e filmes, estimulando o conhecimento sobre a história regional.

             Os projetos deverão ser direcionados para crianças, adolescentes e jovens, terceira idade, professores da rede pública de ensino, turista e visitantes do Acampamento e as inscrições devem ser realizadas no Centro Municipal de Cultura – Érico Veríssimo, 307 (Teatro Renascença) das 9h às 12h e das 13h30min às 17h, com apresentação dos documentos: alvará de 2016, ata de fundação do piquete, ata de eleição do novo patrão caso houver alteração de patronagem, nome e certificado de no mínimo dois brigadistas, comprovante de recolhimento da taxa de luz, água e lixo conforme tabela de Categoria de Piquete e o projeto cultural.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Abertas inscrições para a 3ª edição do Prêmio MTG de Jornalismo

                 O Movimento Tradicionalista Gaúcho abriu inscrições para a terceira edição do Prêmio MTG de Jornalismo. Poderão concorrer trabalhos jornalísticos veiculados em TVs, jornais, revistas, rádios, sites, blogs e fanpages, que se destaquem por ineditismo e/ou originalidade da abordagem do tradicionalismo gaúcho; pela consistência na divulgação e cobertura dos fatos tradicionalistas; capacidade de traduzir os fatos tradicionalistas para o leitor; pela contribuição para preservação da memória do tradicionalismo gaúcho; e contribuição para uma reflexão sobre a figura folclórica e simbologia do gaúcho.

               Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, a entrega dos troféus será realizada no Acampamento Farroupilha, em Porto Alegre, durante o mês de setembro.
O formulário para inscrições está disponível no link: https://form.jotformz.com/jrfischborn/Premio-MTG-Jornalismo-2017

Acampamento Farroupilha: MTG organizará as comemorações e a prefeitura fiscalizará as atividades

         A assinatura do termo de permissão de uso do Parque Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia) para o Acampamento Farroupilha 2017 foi realizada na tarde desta terça-feira, dia 18, no Paço Municipal. Sem aporte de recursos por parte do município, o termo permite que o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) organize as comemorações da festa que promove a cultura gaúcha.
         

                A cerimônia contou com a participação do prefeito Nelson Marchezan Júnior, do vice-prefeito Gustavo Paim, do presidente do MTG, Nairioli Callegaro,  do Coordenador da 1ª Região Tradicionalista Luis Henrique Lamaison e dos secretários da Cultura, Luciano Alabarse, e do Meio Ambiente e da Sustentabilidade, Maurício Fernandes. De acordo com o termo de permissão, entre outras determinações, caberá ao município a fiscalização das atividades e também o acompanhamento do evento para que não ocorram danos ao meio ambiente.

                Já o MTG ficará com a responsabilidade de planejar e gerir o Acampamento Farroupilha. “Esse momento da assinatura é importante pois conclui o esforço da sociedade junto à prefeitura para a construção do Acampamento Farroupilha dentro da legalidade”, diz o presidente do MTG, Nairioli Callegaro.

              Com recursos financeiros limitados, devido à grave crise pela qual a prefeitura passa, e devido a apontamentos feitos pelo Ministério Público sobre o repasse feito em anos passados para a festa, a prefeitura propôs o termo para regular e profissionalizar o evento.

Com informações da Assessoria 
de Imprensa Prefeitura Municipal

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Abertas inscrições para Cfor Patronagem

              O Movimento Tradicionalista Gaúcho realiza, no dia 19 de agosto, o Curso de Formação Tradicionalista voltado para patrões. O curso acontece em Fontoura Xavier, na 14ª Região Tradicionalista.

              O CFor Patronagem tem por objetivo de externar esclarecimentos para todos os interessados em atuar ou que já estão atuando em algum caro de liderança, junto à entidade ou região tradicionalista. Os conteúdos abrangem História do Rio Grande do Sul e do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Estrutura e Funcionamento do MTG e de Centros de Tradições Gaúchas, Responsabilidades Fiscais e Legais do CTG, Lei do Voluntariado, Gestão de Pessoas e Administração de Conflitos, Eventos e Protocolos: organização e desenvolvimento; e Indumentária Gaúcha.

             O investimento é R$ 65,00 (sem refeições) e as inscrições podem ser feitas pelo link https://www.cursos.mtg.org.br/formulario-cfor-patronagem-14rt

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Últimas vagas para Cfor de Três Passos

         O Movimento Tradicionalista Gaúcho está encerrando as inscrições para o Curso de Formação Tradicionalista – Cfor Básico, que será realizado no dia 23 de julho em Três Passos. Segundo o presidente da entidade, Nairo Callegaro, restam ainda algumas vagas.

          O Cfor Básico aborda temas como História do Rio Grande do Sul; História do Tradicionalismo Gaúcho; Noções básicas da Cultura Gaúcha; Carta de Princípios; Gestão de Pessoas: liderança, relacionamento interpessoal e gerenciamento de conflito e Voluntariado.

          Mais informações podem ser obtidas no site https://www.cursos.mtg.org.br e pelo e-mail cursos@mtg.org.br

Foto: Mauro Cezar Heinrich 

84ª Convenção Tradicionalista acontece em Lagoa Vermelha

           
            O Movimento Tradicionalista Gaúcho realiza, no dia 29 de julho, no CTG Alexandre Pato, em Lagoa Vermelha, a 84ª Convenção Tradicionalista. 

             Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, a Convenção Tradicionalista tem papel fundamental na revitalização do Movimento Tradicionalista, por reunir as principais lideranças e os jovens diretamente envolvidos com as principais atividades culturais realizadas no pago gaúcho. “Dos debates realizados nas Convenções resultam os rumos do Movimento, pois em suas plenárias decidem-se as normas que regem s relações internas e externas do MTG”, afirma.

             A Convenção Tradicionalista é o órgão integrado pelos membros do Conselho Diretor, Conselho de Vaqueanos, Junta Fiscal, Conselheiros Beneméritos e Coordenadores Regionais, que reúne-se ordinariamente, todos os anos, no mês de julho, em local fixado na Convenção anterior ou por convocação extraordinária.

            A primeira Convenção Tradicionalista foi realizada no ano de 1968, no CTG “Invernada do Chapadão”, em Jaguari, 10 ª Região Tradicionalista.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Editorial do Presidente - A Paixão Côrtes, nosso Muito Obrigado!

             Ao longo de nossas vidas percorremos muitos caminhos, nos quais vamos deixando nossa marca. Algumas são permanentes e outras não; pessoas, empresas, instituições e amigos, e àqueles que nos marcam devemos agradecer e reconhecer pelo bem que nos foi feito.

             Desta vida nada levamos, apenas deixamos marcas e temos que ter o extremo cuidado de fazer isto com muita responsabilidade. O mês de julho, para os tradicionalistas, deve ser um mês de agradecimento a um ser humano que nos marcou tão profundamente em nossas vidas e na forma de olharmos nossa sociedade, valorizando e descobrindo nossa identidade cultural regional, de nos reencontrarmos com nossa formação, com nossas origens.

              Falo aqui porque no dia 12 de julho completa 90 anos nosso querido amigo João Carlos Paixão Côrtes, um homem capaz de unir jovens e despertar de uma forma incontrolável este sentimento de pertencimento de nossa gente pela nossa cultura regional. Ele faz parte de um tempo em que grandes pensadores e intelectuais percorriam nosso meio de uma forma simples e contributiva a todo este processo que desencadeou em setembro de 1947 o surgimento do movimento organizado. O MTG é uma consequência do processo social iniciado neste período, desenvolvendo desde o início a capacidade de organizar e orientar, na medida do possível, esta caminhada em nossa sociedade.

             Vivemos um momento de profunda transição que com certeza deveríamos voltar aos ideais e princípios daqueles jovens liderados por Paixão Cortes. Vivemos o momento de retomarmos o chamado “Velho Tradicionalismo”, aquele que inspirou inúmeras pessoas a participarem deste movimento. Um tradicionalismo que aprendi com meus pais, e que alguns julgam como ultrapassado, mas que penso ser o verdadeiro e único caminho de reencontro com nossas origens.

              Neste cenário que nos encontramos devemos dar um muito obrigado muito especial em nome de todos os tradicionalistas, de nossa sociedade, pela insuperável contribuição de seu trabalho de pesquisa para com nossa cultura regional.

             Agradecer é pouco, reconhecer e lutar verdadeiramente por estes valores basilares de nossa identidade é nosso dever e obrigação, pela nossa consciência de implementarmos uma sociedade mais coletiva, mais justa e mais humana capaz de efetivamente mantermos nossa unidade com aquele espírito.

              Não podemos olhar a foto do Grupo dos Oito, a foto do acendimento da chama, do primeiro candeeiro, da primeira ronda ou do primeiro baile gaúcho e sermos somente saudosistas. Devemos nos reencontrar, voltar um pouco ao passado, buscarmos nossa essência, nossos referenciais. Qual tradicionalismo queremos continuar praticando?  Aquele em que nos perdemos em competição, em vaidades pessoais, disputas de poder, regras, ego...... ou aquele que começou com aqueles jovens de 1947? Aqueles jovens nunca imaginaram onde chegaríamos e o tamanho do movimento atualmente, mas tenho certeza de que gostariam que algumas questões fossem revistas e readequadas às suas origens.

             Nossa grande referência completa 90 anos. Neste dia 12 de julho, obrigado Paixão Côrtes por ter nos dado a oportunidade de descobrirmos e preservarmos nossas origens. Agradeço em meu nome e do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Muita saúde e vida longa.

Nairo Callegaro
Presidente do MTG

Elma Sant’Ana é escolhida Patrona da Semana Farroupilha de 2017

            A escritora triunfense Elma Sant´Ana autora de diversos livros, entre eles: “Parteiras, Benzedeiras e Benzeduras” foi escolhida, na manhã desta segunda, 10, Patrona dos Festejos Farroupilhas do Rio Grande do Sul. Elma é geógrafa e pós-graduada em Ecologia Humana e Folclore. Autora de mais de 30 livros nas áreas de pesquisa de folclore, história, biografia, entre eles: “A Mulher na Guerra dos Farrapos”, “Menotti, o filho gaúcho de Anita e Garibaldi”, “Minha Amada Maria - Cartas dos Mucker”, “Garibaldi em São José do Norte – a luta pelo porto”, Meu nome é Anita”,com a atriz Suzana Saldanha, “Parteiras, Benzedeiras e Benzeduras”, “Don José Guasque”, “Triunfo na Linha do Tempo” entre outros. Idealizadora e presidente do Instituto Anita Garibaldi. É, também, idealizadora e presidente do Instituto Anita Garibaldi e ex-diretora do Instituto Estadual do Livro.

           Palestrante sobre a cultura gaúcha, em especial sobre a temática garibaldina, Elma é, também, conferencista sobre políticas públicas da cultura nos municípios do Rio Grande do Sul. Ministrante de oficinas literárias sobre o tema “Parteiras, Benzedeiras, Benzeduras”. Foi Patrona da Feira do Livro de Tramandaí ( 2007) e da Feira do Livro do Colégio Afonso Pena, de Paraiso do Sul  (2012).

            Na área cultural, foi Secretária de Turismo de Mostardas, Assessora Cultural, de Capivari do Sul e Igrejinha. Ex-conselheira no Conselho Estadual de Cultura, Assessora Cultural, da FAMURS. Recebeu a “Comenda Anita Garibaldi”, da Maçonaria, do Distrito Federal, “Troféu Guri”, da Rádio Gaúcha SAT, “Troféu Melhores Mulheres”, do Jornal do Comércio e a “Camélia de Ouro”, da cidade italiana de Velletri, entre outras homenagens. Foi diretora do Instituto Estadual do Livro em 2010 - órgão ligado à Secretaria de Estado da Cultura.


OBRAS LITERÁRIAS DE ELMA SANT´ANA
1-O Folclore da Mulher Gaúcha
2-Jacobina Maurer
3-Os Cavaleiros do Mar (com André Stolaruck)
4-Cavalgada em Revista ( com André Stolaruck)
5- Porto Alegre Eu TCHÊ amo ( poemas)
6- A Cavalo, ANITA GARIBALDI !
7-Menotti- o Garibaldi Brasileiro (traduzido para o italiano por Carla Falvino)
8- Memórias de ZÉ TERRA, o Tropeiro do litoral
9- Diário de uma cavalgada – Cavaleiros da Paz no Pantanal  ( com Peter Damborg)
10- Vilmar Romera – Do tamanho d Rio Grande
11- Jacobina – a líder dos Mucker
12- A odisséia de Garibaldi no Capivari ( com André Stolaruck)
13- Menotti – o filho gaúcho de Anita e Garibaldi
14- Bento e Garibaldi na Revolução Farroupilha (Memorial)
15- Garibaldi e  as Repúblicas do Sul (Memorial)
16- Minha Amada Maria – Cartas dos Mucker
17-Menotti – o filho brasileiro de Anita e Garibaldi ( com o Dep. Francisco Appio)
18- Garibaldi – A Cidade e o Herói (com Elenita Girondi)
19- O Folclore da Mulher Gaúcha (reeditado)
20- As Parteiras
21- Benzedeiras & Benzeduras ( com Delizabete Seggiaro)
22- O Folclore da Menstruação
23- Garibaldi em São José do Norte – A luta pelo Porto ( traduzido para o italiano por Gabriele Trentini)
24- Sonhos de Liberdade: O  legado de Bento Gonçalves, Garibaldi e Anita ( Organizado por Omar de Barros Filho, Ricardo Vaz Seelig e Sylvia Bojunga)
25 – Parteiras, Benzedeiras e Benzeduras
26 – A Cavalgada do Mar – 25 anos ( com João José de Oliveira Machado)
27 - A Mulher na Guerra dos Farrapos
28 - Arvorezinha na Linha do Tempo - 50 Anos
29 – Instituto Anita Garibaldi – 18 anos
30 – Don José Guasque: Da Espanha dos Bourbon ao Brasil Imperial e a
República Farroupilha
31- Biografias: Tributo a Jônio Salles, Triunfos de Breno Ferreira dos Santos e Uma Visão de Mundo – depoimentos de João Fabricio de Morais.

Elma se junta ao seleto grupo de patronos dos festejos farroupilhas, desde 2005
2005 – Luiz Alberto de Menezes
2006 – João Carlos D’Avila Paixão Cortes
2007 – Antonio Augusto Fagundes
2008 – Wilmar Winck de Souza
2009 – Telmo de Lima Freitas
2010 – Rodi Pedro Borghetti
2011 – Alcy José de Vargas Cheuiche
2012 – Nilza Lessa
2013 – Nésio Correa – Gildinho dos Monarcas
2014 – Benajmim Feltrin Netto
2015 – Padre Amadeu Gomes Canellas
2016 – Zeno Dias Chaves
2017 – Elma Sant’Ana

terça-feira, 4 de julho de 2017

Abertas inscrições do Enart para músicos

               O Movimento Tradicionalista Gaúcho, por meio da vice-presidência artística, disponibilizou o formulário para inscrições de músicos no Enart – Encontro de Artes e Tradição. A novidade, segundo o vice-presidente artístico, José Roberto Fishborn, é que os grupos precisarão informar somente em qual Força (A ou B) atuará.

"Além de ganharmos em agilidade, a iniciativa também permite que os grupos de dança tenham maior mobilidade na troca de musicais, caso seja necessário”, afirma. O preenchimento do formulário é necessário para todas as fases classificatórias e também final do Enart e uma vez escolhida a Força onde o músico irá atuar, o mesmo não poderá mais trocar.

O formulário está disponível no site do MTG, pelo link https://form.jotformz.com/jrfischborn/musicos-enart

Ao completar 90 anos, Paixão anuncia afastamento

           João Carlos D'Ávila Paixão Côrtes nascido em Santana do Livramento, fronteira seca do Rio Grande do Sul com Rivera (Uruguai),  em 12 de julho de 1927, é Engenheiro Agrônomo, folclorista, radialista e dedicado pesquisador da cultura, hábitos e costumes populares do Rio Grande do Sul e do Brasil, os quais registrou em dezenas de publicações e discos.

           Formado em Agronomia, teve sua vida profissional ligada a Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul onde desenvolveu trabalhos ligados a Ovinotecnia, em destaque a introdução da tosquia australiana e a tipificação de carcaças.

           Em 1947, liderou os estudantes que fundaram o Departamento de Tradições Gaúchas do Grêmio Estudantil do Colégio Júlio de Castilhos em Porto Alegre, célula-mater do Movimento Tradicionalista Gaúcho. 

            Esse núcleo estudantil foi o centro agregador para um grupo de jovens que protagonizaram pioneiramente momentos marcantes na  história do tradicionalismo. Ele e sete companheiros, trajados e montados tipicamente à gaúcha, algo inédito na época, formou o "Piquete da Tradição" que desfilou, em Porto Alegre, fazendo a guarda de honra da urna funerária dos restos mortais do general farroupilha Davi Canabarro.

            Este Departamento criou, durante a primeira Ronda Crioula, uma série de solenidades culturais e cívicas que deram origem aos símbolos da Chama Crioula e do Candeeiro Crioulo, e inspirou a criação da Semana Farroupilha. 

            Participou ativamente do grupo, onde estavam presentes Barbosa Lessa e Glaucus Saraiva, que fundou o “35 Centro de Tradições Gaúchas”, o primeiro CTG, compondo a primeira diretoria como Patrão de Honra.

            Estima-se que existam mais de 4.000 entidades gauchescas de diferentes constituições (CTGs, piquetes, grupos de danças, conjuntos musicais, etc)  que congregam cerca de cinco milhões de pessoas no Rio Grande do Sul, em quase a totalidade dos estados do Brasil, e em diversos paises da Europa, da América do Norte, e da Ásia.

            Seu trabalho foi reconhecido pelo povo do Rio Grande do Sul, ao ser escolhido por voto espontâneo, como um dos “Vinte Gaúchos que Marcaram o Século XX” , colocando-o entre exponenciais figuras como Getúlio Vargas, Osvaldo Aranha, João Goulart, Érico Veríssimo, Mário Quintana, Barbosa Lessa e outras personalidades.

            Nacionalmente foi distinguido, pelo, então, Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, com a Comendo da “Ordem ao Mérito Cultural”, por serviços prestados à cultura brasileira.
Do Governo do Estado do Rio Grande do Sul recebeu a "Medalha Negrinho do Pastoreio", como reconhecimento por serviços prestados à cultura, e a "Medalha Assis Brasil", em destaque por seu trabalho em prol da agropecuária. 

             Por sua atuação nos mais diversos segmentos, igualmente recebeu significativas homenagens e distinções, por diferentes entidades das áreas de ensino, da cultura, das artes, da literatura, das representações governamentais, da agropecuária, da economia, da religiosidade e da representação popular. Igualmente, empresta seu nome a Museu, a CTG, a praça, e a premiações em distintos municípios gaúchos. 

            Convidado pelo consagrado escultor Antônio Caringi, em 1954, Paixão Côrtes teve a honra de posar, com suas roupas campeiras e laço de 14 braças, para o artista esculpir a estátua do "O Laçador", que inicialmente foi colocada em gesso na exposição em comemoração do IV Centenário de São Paulo. Em 1958, a obra escultural eternizada em bronze, foi erguida em praça pública à entrada de Porto Alegre, sendo deslocada, em 2007, para o "Sitio do O Laçador".

           Recentemente, sua Sant'Ana do Livramento homenageou-o com obra estatutária de Sérgio Coirolo, colocada na entrada da cidade, saudando o visitante da fronteira. 

           Paixão Côrtes, que iniciou suas pesquisas folclóricas junto com Barbosa Lessa ainda no final da década de 40, desenvolveu um notável trabalho de "garimpagem" junto ao genuíno homem do campo por perdidos rincões do estado gaúcho. No transcorrer do tempo, necessitou custear, as expensas próprias e sem auxílio de qualquer órgão governamental, os filmes, as fitas magnéticas e os equipamentos - gravadores, filmadoras, e máquinas fotográficas, utilizados para registrar um fértil manancial da cultura popular gauchesca.

            Deste trabalho com pesquisador no nosso estado, em outros estados brasileiros, e em diversos paises da América Latina e da Europa, resultou um acervo de milhares de slides, de centenas de fitas gravadas, de horas de filmes em super 8 e em VHS, de raros registros fonográficos da "Casa A Eléctrica" pioneira produtora do selo gramofônico "Discos Gaúchos", e de inúmeros documentos sobre os hábitos e costumes rio-grandenses. 

             Tendo como foco a divulgação deste material, colaborou com diversos artigos para jornais e revistas, apresentou teses aprovadas em Congressos Tradicionalistas e de Pesquisadores da Música Brasileira, palestrou em simpósios e encontros culturais, participou de programas de rádio e televisão, colaborou com documentários, entre outras atividades culturais. 


              Profissionalmente realizou cursos sobre tradição, folclore e danças tradicionais, ensinou professores em especializações em faculdades, realizou espetáculos de danças,  e como radialista utilizou seus programas de rádio, ao longo de quatro décadas para propagar seus estudos e para oportunizar espaço para manifestação da cultural popular do homem do campo.

              Desenvolveu nas últimas décadas, o Projeto MOGAR - Momento Gauchesco Artistico-Cultural Rio-grandense, no qual  editou, com textos e fotos do seu acervo pessoal, cerca de quatro dezenas de  livros, opúsculos, folhetins,  e folders,  num total de 350 (trezentos e cinquenta) mil publicações que estão sendo distribuídas gratuitamente para enriquecimento cultural de bibliotecas públicas, de entidades educacionais, de Centros de Tradições Gaúchas, de Grupos Artísticos, de escolas,  e de diversos grupos propagadores da cultura gauchesca.

                Assim, em 70 anos de múltiplas atividades, Paixão Côrtes, sempre foi um tropeiro cultural. Se em um momento estava em terras européias cantando e dançando a alma da sua terra, em outro estava pesquisando e resgatando as manifestações autócne do povo sulino, para, em seguida, estar transmitindo e divulgando-as pelos diversos rincões do Brasil, contribuindo, assim, definitivamente na formação da identidade do gaúcho riograndense.

              Chegando aos 90 anos de idade, decidiu recolher-se na intimidade do convívio familiar. Vai dar uma pausa na sua atuação como homem público pois os anos de tropeada lhe causaram desgastes de saúde. Já não consegue atender igualmente a todas as demandas e não quer preterir ninguém, mas precisa se fortalecer. Espera que compreendam sua decisão. 

               A sua figura pública sempre foi agente de uma ideia, que foi plantada em solo fértil,  e propagou nas novas gerações. Que estas sejam responsáveis pelos novos frutos.

             Ele segue observando, organizando e enriquecendo seu extenso acervo documental de pesquisas. O Tropeiro da Tradição agora segue "a despacito" no ritmo do seu tempo, a trançar outros tentos.

              Agradece a todos, as mais diferentes manifestações de carinho que continua recebendo.


              Porto Alegre, 02 de julho de 2017.

Carlos C Paixão Côrtes
(filho de J. C. Paixão Côrtes)

segunda-feira, 3 de julho de 2017

66º Congresso Tradicionalista Gaúcho será em São Jerônimo

 
        O 66º Congresso Tradicionalista Gaúcho, em janeiro de 2018, será no município de São Jerônimo, na 2ª Região Tradicionalista. A confirmação é do presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Nairo Callegaro, que na semana que passou esteve reunido com o prefeito da cidade, Evandro Agiz Heberle, com o vice-prefeito Júlio César Prates Cunha, além do prefeito de General Câmara, Helton Holz Barreto, e o Coordenador da 2ª Região Tradicionalista, Ivan Fernando Botelho.

            O Congresso Tradicionalista é a reunião, em Assembleia Geral, das entidades filiadas-efetivas e tem por fim traçar diretrizes, rumos e princípios para o Movimento Tradicionalista Gaúcho; ensejar o debate e a divulgação de ideias, trabalhos, pesquisas, sugestões, teses e temas de cunho tradicionalista; e escolher a nova diretoria da entidade para o ano, entre outros.

            Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, o Congresso é um dos mais importantes eventos do calendário da entidade, uma vez que abre espaço para o debate, discussão e definições quanto ao futuro do tradicionalismo no Rio Grande do Sul, além de proporcionar o encontro de tradicionalistas de todo o estado em um clima de amizade e hospitalidade.